Minerações vão receber 1.2 bilhão de investimentos para expansão de suas produções no município de Catalão.

A expectativa dos catalanos é que possa minimizar o desemprego no município

Em reunião com o governador Ronaldo Caiado, no último dia 09, o presidente-executivo da mineradora chinesa CMOC, Steeli Li, anunciou projeto de investimento de cerca de R$ 1,2 bilhão para ampliação das atividades da companhia em Catalão, onde já atua há 40 anos. A última ampliação da empresa ocorreu em 2002, ou seja, há 17 anos.

Com esse novo aporte, a expectativa é de que 2 mil novos empregos sejam gerados durante a fase de ampliação da mineradora, que deve durar dois anos, e mais 500 sejam criados após a conclusão da obra.

Participaram da reunião o Governador Ronaldo Caiado, prefeito de Catalão, Adib Elias; e os secretários Andréa Vulcanis (Meio Ambiente), Wilder Morais (Indústria e Comércio.

A multinacional está instalada em Catalão desde 1970 e atua na mineração, principalmente, com o beneficiamento de nióbio e fosfatos, minerais essenciais para o desenvolvimento de indústrias e para o crescimento da agricultura. A empresa produz, por ano, 10 mil toneladas de nióbio na região, pois o brasil detém 98% do nióbio de todo mundo, somente 3 minas de nióbio descoberta no mundo, a Niobrás em Catalão, a CBMM em Araxá e a Langold no Canadá.

Caiado destacou que o Estado está comprometido em oferecer à companhia condições e apoio para que os projetos sejam colocados em prática o mais rápido possível.

Para o prefeito de Catalão, Adib Elias, a empresa entendeu que investir em Goiás é importante e como isso foi fundamental para transformá-la a partir da década de 1970, Não existe um Estado mais rico do que Goiás no setor mineral”, assegurou.

Novos investimentos
Ainda durante a reunião, o presidente-executivo da CMOC adiantou o desejo de novos projetos no Brasil e no Estado, inclusive com a produção de fosfato para contribuir com o desenvolvimento da agricultura. “Em Goiás, mais de 50% dos fertilizantes são importados. Podemos contribuir mais para reduzir a dependência da importação”, argumentou Steeli Li, salientando que a companhia entrou no Brasil não só por aquisição do nióbio, mas para fazer um investimento de longo prazo e, para isso, é preciso firmar parcerias. 
Ao final da reunião, o governador pediu ao presidente da CMOC que leve ao governo chinês e a outros investidores a mensagem de que Goiás está de braços abertos. E a resposta de Steeli Li foi positiva. “Nós temos muita confiança no Brasil e em Goiás. Vamos partilhar essa experiência com outras empresas. Tenham em nós uma ponte entre a província da China e o Estado de Goiás”, ressaltou. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *