Governador de Goiás Ronaldo Caiado faz balanço do final de ano em entrevista numa rede de 52 rádios

Recuperação
Caiado falou também sobre o trabalho adotado para garantir a recuperação fiscal do Estado, o qual ele herdou com muitas dificuldades financeiras e dívidas elevadas. Só de folha de pagamento do pessoal atrasada, contou, foi herdada dívida de R$ 1,68 bilhão. Sem falar nos pagamentos em atraso na Saúde, no transporte e merenda escolares, no repasse aos municípios, na Bolsa Universitária, entre outros. “Recebemos o Estado em situação de calamidade”, destacou.

O governador lembrou ainda que, ao lado de outros Estados que apresentavam problemas fiscais no início do ano – como Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro -, Goiás é o único que está fechando 2019 quitando 14,5 folhas de pagamento de pessoal. “Isso se consegue com gestão, com transparência”, salientou. E citou, entre outras realizações em diversas áreas, a parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG) para a criação do Centro de Excelência em Inteligência Artificial.

Geração de emprego
Questionado sobre a política adotada para gerar mais vagas de trabalho, o governador informou que foram atraídas para Goiás este ano 62 indústrias. O total de novas empresas abertas na Junta Comercial (Juceg) este ano já supera 20 mil. Entretanto, lamentou o gargalo da disponibilização de energia para novos empreendimentos, ressaltando que resolver o problema da Enel é “um grande desafio”.

Caiado ponderou ainda que atualmente os empreendimentos produtivos estão concentrados em apenas três municípios (Goiânia, Aparecida e Anápolis), e em menor número em Rio Verde e Jataí. Isso contribui para criar as chamadas “ilhas de desenvolvimento” e outras áreas menos desenvolvidas, e portanto para o desequilíbrio regional. Por isso, disse que sua política de incentivos fiscais vai tentar direcionar os investimentos produtivos para regiões menos desenvolvidas, como o Nordeste Goiano, Entorno do DF, Norte Goiano e Vale do Araguaia. “Nossa política será levar o emprego para as regiões onde não tem sequer a perspectiva do jovem permanecer lá no local”, disse.

Educação
Na área da educação, o governador destacou o Programa Estudante de Atitude, através do qual os alunos passam a cuidar de suas escolas, na pintura, na limpeza, entre outras ações. E aproveitou para fazer um apelo especial: o período de aumento da incidência do mosquito transmissor da dengue está começando e todos devem fazer a lição de casa e não deixar água estocada. Pode ser feito ainda um trabalho com as crianças para orientarem os pais em relação a esta questão.

Infraestrutura
Na área de infraestrutura, principalmente na conservação das rodovias, Ronaldo Caiado reclamou da má qualidade do asfalto realizado pelas empresas contratadas pela extinta Agetop. “O asfalto em Goiás não aguenta uma chuva”, reclamou. Ele disse que este ano o Governo destinou R$ 130 milhões para essa área e prometeu a recuperação das estradas goianas. Lembrou que que no início do governo fez parceria com produtores rurais, prefeituras e empresários, visando a manutenção ou pavimentação de rodovias.

Saúde
“O importante na Saúde é gestão”, salientou o governador, citando o caso do Hospital de Urgência de Trindade (Hutrin), onde a mudança da Organização Social (OS) que gere a unidade propiciou o aumento do número de cirurgias e atendimentos de urgência e maior rapidez de altas hospitalares, com exatamente os mesmos recursos desembolsados. Ele prometeu que 2020 será um marco para a Saúde em Goiás, com eficiência no atendimento de qualidade aos goianos.

CNH Social
O governador citou ainda as ações realizadas no Detran, como o fim da indústria da multa e a redução nos valores da vistoria. Para ele, o destaque no órgão foi a criação do programa CNH Social, por meio do qual pessoas de baixa renda vão poder tirar a carteira de motorista gratuitamente. Conforme ele, para muitos jovens carentes, que não teriam condições financeiras de tirar uma CNH, o programa será de grande valia para aumentar suas possibilidades de conseguir colocação no mercado de tranalho.

Mariza Sanyana/ABC Digital.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *